4 de mai de 2010

Portas Abertas

 Completando seus 32 anos, a Missão Portas Abertas conta a história de seu início nas palavras da primeira pessoa a convidar o Irmão André para falar da Igreja Perseguida no Brasil

Elmira Pasquini foi a pessoa que Deus usou para iniciar o trabalho da Missão Portas Abertas no Brasil. Hoje, aos 83 anos de idade, reside na cidade de Atibaia-SP.
Com o coração sempre comprometido com a obra missionária, Elmira nem imaginava o quanto o trabalho da Portas Abertas iria alcançar o todo o Brasil.
Ela foi convidada a participar de uma conferência da International Hospital Christian Fellowship (Aliança Cristã Hospitalar Internacional, IHCF), na Áustria, em 1972. Lá teve o primeiro contato com o famoso Irmão André, que conhecera somente através do livro O Contrabandista de Deus (Editora Betânia).

Você não tem orado o suficiente

Na ocasião, estava muito empolgada em conhecer de perto aquele que admirava, por atravessar as barreiras de perseguição em nome do evangelho, mas logo na primeira noite foi convidada para participar de um grupo de oração durante a palestra do Irmão André. Mesmo sem muito sucesso em ouvir a voz do pregador, Elmira teve a oportunidade de ouvi-lo orar por todos os que intercederam durante a pregação.
No dia seguinte, Elmira foi preparada para então aproveitar cada minuto das lições de vida do contrabandista de Deus, fundador da Portas Abertas.
Estando ainda na conferência, Elmira perguntou para o Irmão André: “Quando você irá para o Brasil?”. A resposta dele foi imediata: “Ore” – nada mais sábio para o momento.
Três anos depois, Elmira o encontrou novamente em outro congresso da IHCF, e perguntou-lhe sobre sua vinda ao Brasil, ao que ele responde: “Você não orou o suficiente”.
Dois anos mais tarde, em 1977, Elmira recebeu a informação que o Irmão André passaria pelo Brasil e falaria no Maracanã.
Elmira foi até o Rio de Janeiro e se deparou com um público mínimo, com menos de 100 pessoas. O Irmão André, lembra-se ela, falou com a mesma importância como se estivesse se dirigindo ao estádio lotado.
Desse evento, surgiu a oportunidade de Elmira conversar novamente com o Irmão André e marcar uma reunião em São Paulo.

Um clamor de mil vozes

Em um culto de sábado na Igreja Batista da Liberdade, São Paulo-SP, aconteceu um marco de oração pela Igreja Perseguida.
Alguns dias antes da visita do Irmão André à Igreja Batista da Liberdade, houve muita expectativa e muita correria tentando mobilizar o maior número de pessoas possível para o evento.
Para surpresa de quase todos, mais de mil pessoas estiveram presentes. Elas se ajoelharam e clamaram em favor da Igreja Perseguida. Foi a primeira manifestação pública do coração brasileiro em favor dos cristãos perseguidos no mundo todo.
Na mesma noite foi levantada uma grande oferta em favor dos cristãos perseguidos que marcou também o compromisso financeiro da Igreja brasileira com a Igreja Perseguida.
Naquela noite, milhares de brasileiros entenderam o que se passava ao redor do mundo, principalmente atrás da Cortina de Ferro, formada pelos países comunistas da Europa Oriental. Os brasileiros firmaram o compromisso de ajudar em oração e com recursos financeiros os cristãos perseguidos no mundo.
Finalmente, Missão Portas Abertas
Dali em diante, foram marcadas outras reuniões referentes à organização da Missão Portas Abertas.
Foi marcada uma reunião em 1º de maio de 1978, onde se determinou a diretoria nacional e os primeiros passos para continuar o trabalho.
Elmira fez parte da diretoria por pelo menos mais 3 anos. Depois disso, ela sentiu que era o momento de se dedicar ao trabalho que já vinha exercendo anteriormente com a União Médico-Hospitalar.
Em uma análise geral, Elmira conclui que foi instrumento de Deus para iniciar este projeto no Brasil e acredita que o Brasil também passará por momentos difíceis em relação à perseguição.
Admira muito a força de jovens, trabalhando no underground (ministério de jovens da Portas Abertas), motivando jovens de outras igrejas a orar pelos cristãos perseguidos.
Não há limite de livros para escrever a respeito da linda história escrita pelas vidas dos pioneiros da Missão Portas Abertas. Nossa maior gratidão é a Deus que nos permite conhecer os cristãos perseguidos e interceder por eles há pelo menos 32 anos no Brasil.

(Fonte: PORTAS ABERTAS) site: http://www.portasabertas.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.