31 de jul de 2011

Projetor Multimídia​ substitui a Bíblia nas Igrejas

Muitos cristãos literalmente estão deixando suas bíblias em casa, guardadas em gavetas pois nas igrejas que frequentam acompanham a leitura bíblica através de projetores multimídia, ou seja, através do conhecido “Data Show” ou "telão". É a tecnologia adentrando nos templos, conquistando instituições religiosas tanto evangélicas como católicas. 

Certamente os projetores multimídias são úteis para a equipe de louvor que veêm na comunidade uma maior interação tendo em vista que conseguem acompanhar as letras das canções em tamanho considerável. Nesse sentido podemos dizer que o recurso é bastante apropriado pois a cada dia são introduzidos novos cânticos. 

Diferentemente a bíblia é o que é e jamais mudou, não existem textos ou livros novos, a mensagem da palavra de Deus continua a mesma, aliás "ai" de quem mudar uma vírgula! 

Com a tecnologia da multimídia muitos cristãos estão deixando a velha bíblia de lado, infelizmente muitos tem o hábito de ler apenas durante os cultos. Os novos convertidos de hoje, mal conhecem os textos bíblicos e a vergonha aumenta quando dizem que Abraão abriu o mar vermelho ou que Moisés entrou an Arca...rs É assustadora a estatística do analfabetismo bíblico. Logo aquela cena de crentes em dia de domingo com a bíblia debaixo do braço a caminho da igreja está com os dias contados! 

O pior é que em muitas igrejas, as ditas neopentecostais em grande parte, não investem no ensino das sagradas escrituras. Se perguntarmos a um jovem convertido nessas igrejas sobre "Escola Bíblica Dominical" provavelmente nunca tenha ouvido falar a respeito. Mas certamente esteja familiarizado com os termos "Escola de Líderes" ou "Escola de Vencedores". 

A Bíblia virou artigo de luxo, vendida a preços inacreditáveis, e modelos variados atendendo ao gosto do freguês: bíblia do surfista, do executivo, da vitória financeira, da batalha espiritual, onde o assunto em destaque muitas vezes não é a palavra de Deus em si, mas as gravuras e textos complementares com a interpretação do editor. Assim teve a ideia de editar uma bíblia com suas dicas, a Bispa Sônia Hernandes da Igreja Renascer, diga-se de passagem ideia copiada de outros veteranos... Quem sabe ainda pode surgir a bíblia do empresário, bíblia do político, bíblia da patricinha e bíblia da socialite! São bíblias que atendem a classe elitizada. Mas por que não editam a bíblia dos presidiários ou a bíblia do pescador, pedreiro ou carpinteiro? 

Não é de se admirar ou espantar se em lugar do pregador nas megas-igrejas houver as chamadas "teleconferências", onde o pastor prega simultaneamente em centenas de cultos como se tivesse vários clones a sua disposição, sem que o mesmo precise se deslocar. Imagine uma rede de igrejas tendo apenas de arcar com o salário de um único pregador. Tais líderes talvez se considerem verdadeiros gênios do marketing e da administração. 

A verdade é que não precisamos apenas de tecnologia, mas da verdadeira exposição da palavra de Deus e as manifestações do seu Espírito Santo em tempo real. 

Mas enquanto a bíblia vai sendo desprezada olha o que acontece com o povo Kimyal quando percebe a chegada de missionários cristãos trazendo bíblias traduzidas em sua língua: 

Que possamos aprender uma lição com o povo kimyal!!


Fonte: Libertos do Opressor
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.