19 de set de 2011

O empobrecimento da música evangélica brasileira

Por Renato Vargens

Lamentavelmente o movimento gospel tem contribuido em muito com o empobrecimento da música evangélica brasileira. Basta olharmos para as canções cantadas em nossos templos que chegaremos a conclusão de que a  safra não é tão boa assim.

Bem, antes que alguém me apedreje preciso afirmar que bem sei que pela graça de Deus, temos em nossos arraiais excelentes musicistas, todavia, boa parte das composições evangélicas compostas por estes irmãos, são paupérrimas em graça e conteúdo.

Ora, para inicio de conversa a esmagadora maioria das canções são antropocênctricas, isso sem falar nas melodias que são desprovidas de inteligência e versatilidade. Para piorar a situação o evangelho que tem sido "tocado" por parte de alguns dos nossos cantores é o evangelho de uma nota só. Este evangelho é veementemente  contrário do evangelho dos evangelhos, isto porque, anuncia o amor de Deus e esquece o juizo eterno; prega prosperidade e nega solidariedade; fala de fé e não confessa pecados; propaga a vitória, e nega a cruz.

Caro leitor,  creio que o empobrecimento das nossas canções se deva em parte ao fato de termos abandonado a exposição e pregação da Palavra. Na verdade, o problema foi que trocamos a Bíblia pela baqueta, deixando de lado o estudo e a reflexão das Escrituras Sagradas, o que contribuiu em parte para o surgimento de uma adoração esquizofrênica, ensimesmada e antropocêntrica.

À luz desta percepção julgo que seja necessário com que a igreja de Cristo regresse aos temas centrais do Evangelho, cantando em seus cultos canções que falam do pecado, da expiação, do sacrificio de Cristo, da vida eterna, do juizo vindouro.


Pense nisso!

Renato Vargens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.