27 de dez de 2011

Silas Malafaia e fatos ligados a evangélicos são considerados as piores coisas do ano por site gay

Silas Malafaia e fatos ligados a evangélicos são considerados as piores coisas do ano por site gay
O movimento LGBT realizou uma eleição dos personagens e fatos negativos que foram mais marcantes no ano de 2011. Na eleição, realizada pelo site Mix Brasil, colocou o pastor Silas Malafaia entre as personalidades que foram “inimigas” do movimento, ao lado da deputada católica Myriam Rios, do kit anti-homofobia e da iniciativa pela implantação do Dia do Orgulho Heterossexual.
O pastor Silas Malafaia foi colocado na lista por sua postura contrária às exigências do movimento LGBT, como por exemplo, a declaração dada em entrevista ao jornal “The New York Times”, em que afirmou ser “o inimigo número um do movimento LGBT”, e a polêmica entrevista à revista Época, quando afirmou que iria “funicar” o líder do movimento e presidente da ABGLT,Toni Reis.
A deputada estadual do Rio de Janeiro, Myriam Rios, apareceu na lista por sua postura de defender que um empregador tenha direito de demitir um funcionário por sua opção sexual.
O kit anti-homofobia, aprovado pelo ex-ministro Fernando Haddad e que foi vetado pela presidente Dilma por trazer mensagem de apologia ao homossexualismo e ilustrações de cenas explícitas de sexo homossexual, foi colocada na lista por ter sido duramente criticada pelos parlamentares evangélicos e pela falta de clareza na explicação dos motivos que fizeram o material ser suspenso.
O Dia do Orgulho Heterossexual foi mencionado na lista como uma iniciativa falha do deputado evangélico Carlos Apolinário (SP). O site afirma que a iniciativa virou alvo de chacota entre a imprensa, mas apesar de reprovado no Legislativo, despertou iniciativas semelhantes Brasil afora. A iniciativa foi criticada até pelo pastor Malafaia, notório crítico dos gays.
Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.