2 de jan de 2012

Irã testa segundo míssil de longo alcance no Golfo Pérsico, diz Marinha



Míssil terra-terra Nur foi testado com sucesso, segundo comandante.

Pressionado pelo Ocidente, Irã ameaça bloquear estreito de Ormuz.


Irã testou um segundo míssil de longo alcance durante um exercício naval no Golfo Pérsico, informou nesta segunda-feira (2) a TV estatal, citando um comandante da Marinha.
"Hoje, o nosso míssil de longo alcance terra-terra Nur também foi lançado com sucesso", disse o almirante Mahmoud Mousavi.
Pouco antes, ele havia informado sobre o bem sucedido teste do míssil de longo alcance terra-mar 'Qader'. Mousavi não informou se o míssil foi disparado a partir de um navio ou da terra.
"O míssil terra-mar de longo alcance Ghader foi testado com êxito pela primeira vez", destacou a agência oficial. O projétil tem alcance de 200 km.
Mousavi havia anunciado que o Irã testaria nesta segunda-feira três mísseis pela primeira vez: "um míssil terra-mar de longo alcance Ghader, um míssil de curto alcance Nasr e um míssil terra-terra Nur".

"Ghader é um sistema de mísseis ultramoderno com radar integrado, muito preciso, cujo alcance e sistema inteligente para evitar ser detectado foram aperfeiçoados em relação às gerações anteriores", disse.

Com alcance de 200 km, o Ghader é apresentado como um "míssil cruzeiro" de fabricação totalmente iraniana.

"O sistema ultramoderno Nur foi aperfeiçoado no dispositivo antirradar e de detecção do alvo", completou.

O Nur, míssil terra-terra de alcance médio, é uma versão modificada do C-802 chino (120 a 180 km de alcance).

Observadores de países amigos, incluindo militares sírios, acompanham a etapa final das manobras, segundo a imprensa iraniana.
A exibição de força acontece no momento em que os Estados Unidos e os países ocidentais aumentam a pressão sobre o Irã por seu polêmico programa nuclear. O Ocidente acredita que o programa tem fins militares, mas Teerã nega.
As manobras navais, iniciadas em 24 de dezembro, acontecem ao redor do Estreito de Ormuz.
O Irã ameaçou fechar esta via estratégica para o abastecimento de petróleo, por donde transita entre um terço e 40% do tráfego marítimo petroleiro mundial, em caso de novas sanções contra as exportações de combustível do país.
França
O teste de mísseis constitui "um sinal muito ruim" para a comunidade internacional", afirmou o ministério das Relações Exteriores da França. "Lamentamos este sinal muito ruim enviado à comunidade internacional com os recentes testes de mísseis anunciados pelo Irã", afirmou o porta-voz do ministério, Bernard Valero.
 
Fonte: globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.