15 de fev de 2012

História das Heresias Católicas


Sinopse histórica em ordem cronológica
das principais heresias da Igreja Católica:

  • Em 370, principia-se o uso dos altares e velas. Pelo fim do século IV, o culto dos santos foi introduzido por Basílio de Cesaréia e Gregório Nazianzeno. Também apareceu pela primeira vez o uso do incenso e turíbulo na igreja, pela influência dos prosélitos vindos do paganismo.
  • Em 400, Paulino de Nola ordena que se reze pelos defuntos, e ensina o sinal da cruz feito no ar.
  • Em 590, Gregório, O Grande, origina o purgatório.
  • Em 607, o assassino Imperador Phocas dá ao Bispo de Roma o direito de primazia universal sobre a cristandade, depois do II Concílio de Constantinopla. Este foi, portanto, o primeiro Papa que recebeu este título enquanto estava vivo. Os anteriores receberam o título após suas mortes e por ordem deste papa.
  • Em 609, o culto à Virgem Maria é obra de Bonifácio IV, e a invocação dos santos e anjos é posta como lei da igreja. Até então ninguém cultuava a Maria nem aos santos e anjos. Os louvores eram exclusivamente à Jesus.
  • Em 670, começa a falar-se em latim a missa, língua morta para o povo, pelo papa Vitélio.
  • Em 758, Cria-se a confissão auricular pelas ordens religiosas do Oriente. Até então toda confissão de pecados era feita exclusivamente em oração à Deus e o perdão também era recebido exclusivamente de Deus.
  • Em 787, no segundo Concílio de Nicea convocado a instâncias da infame imperatriz Irene, foi estabelecido o culto às imagens e a adoração da cruz e relíquias dos santos.Esta é a origem da adoração de imagens que até hoje caracteriza a Igreja Católica distinguindo-a de toda cristandade.
  • Em 795, o incenso foi posto por lei nas cerimônias da igreja por Leão III.
  • Em 803, foi criada a festa da Assunção da Virgem pelo concílio de Magúncia. Até então ninguém pensava neste absurdo, já que estavam embasados na Bíblia.
  • Em 818, aparece pela primeira vez, nos escritos de Pascácio Radberto, a doutrina datransubstanciação e a missa. Até então ninguém imaginava que a óstia (pão) se tornaria o próprio corpo de Jesus (carne). Esta idéia gerou muita controvérsia quando implantada pois tornaria os discípulos canibais e a Jesus um autófago.
  • EM 884, o papa Adriano III aconselha a canonização dos “santos”. Foi a partir deste ano que começou-se a alterar o significado real (BÍBLICO) da palavra SANTO para definir que só alguns seriam santos.
  • Em 998, é estabelecida a festa aos mortos, “dia de finados’’ por Odilon.
  • Em 1000, a confissão auricular generaliza-se e os ministérios e os ministros da igreja arrogam para si o célebre “Ego te Absolvo’’. A missa começa a chamar-se sacrifício. E organizam-se as peregrinações (romarias).
  • Em 1003, o papa João XVI aprova a festa das almas “fiéis defuntos’’ que Odilon criara primeiro.
  • Em 1059, Nicolau II cria o colégio dos cardeais “conclave’’.
  • Em 1074, o papa Gregório VII, aliás Hildebrando, decreta obrigatório o celibato dos padres. Até então todos os padres se casavam e tinham seus filhos e netos, assim como os apóstolos eram casados.
  • Em 1075 o referido Gregório VII exigiu que os padres casados se divorciassem de seus cônjuges e abandonassem seus filhos.
  • Em 1076, é declarada a infalibilidade da igreja pelo mesmo papa.
  • Em 1090, Pedro, o Ermitão, inventa o rosário.
  • Em 1095, Urbano II cria as indulgências plenárias.
  • Em 1125, aparece pela primeira vez nos cânones de Leão, a idéia da imaculada conceição de Maria, porém, São Bernardo de Clairvaux refutou tal idéia.
  • Em 1164 Pedro Lombardo enumerara 7 sacramentos; enquanto que Jesus Cristo ordenara apenas dois (batismo e ceia).
  • Em 1200, o Concílio de Latrão impõe a transubstanciação e confissão auricular.
  • Em 1227, entra a campainha na missa por ordem de Gregório IX.
  • Em 1229, o concílio de Toulouse estabelece a inquisição, que foi confirmada em 1.232 por Gregório X, e logo entregue aos dominicanos. Este mesmo concílio proíbe a leitura da Sagrada Escritura, ao povo. A partir desta data tornava-se proibido a leitura da Bíblia dentre os cristãos. Um absurdo sem medida que foi imposto pela Igreja Católica para que parassem de questionar as heresias que esta instituição estava criando e impondo.
  • Em 1264, Urbano IV determina pela primeira vez a festa do corpo de Deus (Corpus Christi).
  • Em 1300, Bonifácio VIII ordena os jubileus. Foi neste ano também que a Igreja Católica Ocidental se uniu politicamente à Igreja Católica Romana criando a instituição chamada Igreja Católica Apostólica Romana. Até esta data não existia a Igreja Católica conforme conhecemos hoje. A instituição que hoje advoga a si a primazia desde os tempos dos apóstolos, só surgiu nesta união política em 1300.
  • Em 1311, inicia-se a primeira procissão do S. Sacramento.
  • Em 1317, João XXII ordena a reza “Ave Maria’’. Até então a famosa reza da Igreja Católica não existia. Ninguém rezava para Maria já que a Bíblia fala claramente que só devemos orar a Deus!
  • Em 1360, começa a hóstia a ser levada em procissão.
  • Em 1414, o concílio de Constança definiu que na comunhão, ao povo deve ser dada a hóstia somente, sendo o cálix (copo) reservado para o padre. Os concílios de Pisa, Constança e Basiléia declararam a autoridade do Concílio superior à autoridade do Papa. Até esta data toda cristandade ceiava conforme a Bíblia demonstra que devemos ceiar. Todos os cristãos são convidados a compartilharem do pão e do vinho, mas agora aos católicos foi impedido de ceiar conforme a Bíblia recomenda.
  • Em 1438, o Concílio de Florença abre a porta ao purgatório que Gregório, o Grande, havia anunciado. Este foi o real início do purgatório. Este que já havia sido citado antes por outro papa agora tornava-se dogma.
  • Em 1546,o Concílio de Trento definiu que a Tradição é tão valiosa como a própria Palavra de Deus. E aceitou os livros apócrifos como canônicos. Já como resposta a Reforma Protestante a Igreja Católica decide que a tradição (estas heresias que estamos listando) tornava-se tão importante quanto a própria Bíblia.
  • Em 1854, Pio IX proclama o dogma da imaculada conceição de Maria.
  • Em 1870, o Concílio do Vaticano I, declara a infalibilidade do Papa. Há menos de 150 anos é que finalmente a Igreja Católica colocou seu líder máximo como sendo um próprio  ”deus” ao declara-lo infalível.
  • Em 1950, é proclamado o dogma da Assunção de Maria. Muitos dentre nós já estavam vivos quando a Igreja Católica definiu que Maria teria sido elevada ao céu sem ter passado pela morte. Não há nenhum relato do primeiro século dando informações sobre a morte/assunção de Maria, que criou seus outros filhos e que, pela lógica, um dia morreu como todo ser humano.
Deus tenha misericórdia de tamanha blasfêmia!
Esta sem dúvida é a instituição religiosa de origem cristã que mais se afastou do verdadeiro cristianismo.

***
publicado originalmente em Crentes.net Via Mantenedor da Fé

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.