Infelizmente, as pessoas estão acostumadas a pensar no diabo como aquela figura nojenta de chifrinhos e tridente; ou associam sua atuação somente a rituais de magia negra e coisas do tipo. Na verdade, a maior ocupação do diabo é a mentira.
Poucos percebem como uma mentira ou um simples pensamento errado pode ser destruidor. Uma maneira simples de entender o poder de uma mentira é compará-la com o que um vírus faz em um computador. Um computador é uma máquina complexa e os programas que o fazem funcionar também. Um vírus de computador nada mais é do que uma pequena informação, minúscula comparada ao tamanho dos programas instalados em qualquer máquina, mas capaz de destruir ou anular toda a inteligência (e dinheiro) empregada na fabricação da máquina e dos softwares. Numa linguagem simples, um vírus pode simplesmente dizer “apague tudo neste disco” e…puft.
Se uma “mentirinha” pode fazer muito estrago, imagine uma que, se não é a maior, certamente, é uma das mais devastadoras.
Quer saber? Vou lhe dizer logo. Uma das piores e mais comuns mentiras usadas para destruir a vida de um jovem é essa: “a juventude é tempo para se fazer de tudo, o momento de se experimentar de tudo”. Sob diversas formas, essa mentira é repetida por todo lado e, você sabe, “uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”. O fato é que a ideia de que a juventude é um período de extremas experimentações e que isso é “normal da juventude” é um vírus que já tomou até a cabeça dos pais e educadores que se renderam a essa “verdade” irrefutável.
Carlos também acreditou nessa ideia. Foi assim que ele estabeleceu uma vida cheia de aventuras sexuais, experimentando de tudo e mais um pouco. Hoje, ele já não é tão jovem e está casado. O vício de sempre precisar de novidades na vida sexual, no entanto, foi algo que ele nunca conseguiu largar. Sua filha o odeia por trair sua mãe dessa maneira, mas não pensa tanto nisso, já que ela é jovem e está ocupada em “aproveitar a própria vida”.
João só queria “curtir a vida”. Ele não é bobo e sabe dos males que a droga e a bebida fazem para a saúde ao longo do tempo. Por isso,ele tem um plano muito simples: usar as drogas e a bebida apenas para turbinar suas baladas por um tempo e depois largar isso tudo. Bem, esse era o seu plano; na verdade, ele já está com 48 anos hoje e na sua terceira internação em uma casa de recuperação.
Clara também quis aproveitar ao máximo a sua juventude. O filho que ela teve aos 15 anos, no entanto, tornou as coisas um pouco mais difíceis. Ela não conseguiu terminar seus estudos e trabalha em um sub-emprego enquanto sua mãe ajuda a criar seu filho.
Joana já não teve esse problema. Não achava cabível sacrificar assim sua juventude, por isso resolveu tudo com um aborto, também aos 15 anos. Melhor, resolveu quase tudo; o sentimento de culpa é algo ainda não resolvido assim como a impossibilidade de ter filhos em decorrência de problemas no aborto realizado. Joana acha que Deus a está castigando com isso por causa do que ela fez.
Estranho foi o caso de Maria. Ela nasceu em um lar evangélico, frequentando a Escola Bíblica desde pequena. Criada na igreja, ela sentia uma certa inveja ao ouvir os testemunhos de pessoas que tiveram uma vida mundana cheia de aventuras e depois passaram por uma conversão radical, mudando de vida ao conhecer a Jesus. Ela tinha uma sensação de perda, como se algo lhe faltasse. Seu plano, então, também era simples: deixar a igreja e aproveitar sua juventude, para mais tarde voltar por meio de uma entrega radical como as que ela tanto ouvia. Bem, será bom para ela que essa experiência de fé ao voltar para Deus seja forte mesmo; afinal, ela precisa de um milagre para ser curada de Aids.
Para Orlando, a mentira do diabo não trouxe qualquer problema de saúde. Na verdade, poucas pessoas tem a vitalidade desse jovem.Ele também não é dado a se envolver com coisas pesadas, como drogas. A versão dele para o “aproveite sua juventude” resume-se a fazer umas “gracinhas” com o carro. Orlando dirige (ou pilota, como gosta de dizer) muito bem. As coisas ficam um pouco mais perigosas na sexta ou sábado à noite, quando sai para uma baladinha. Nada de mais, claro.
Mas quando o diabo planta uma mentira, ele espera colher algo. Se Orlando tem tanta vitalidade, não se pode dizer o mesmo de Clara, a menina de 8 anos que ele atropelou e matou. Ela nunca terá que se preocupar com a mentira do diabo ao jovem, não viverá a juventude nem a velhice. Estranho como uma criança cheia de vida e alegria pode se tornar símbolo de desgraça para uma família. Por falar em desgraça, foram estas as palavras que Orlando ouviu da mãe de Clara: “desgraçado, desgraçado!!!”.
Todos esse nomes foram inventados, mas os casos são reais e ocorrem com frequência entre jovens infectados por esse vírus, por essa mentira do diabo.
Se você passou por algo assim, não se desespere, busque a Deus para ser restaurado. Mas se ainda está livre dessa mentira, tome logo a vacina que vai livrá-lo de ser contaminado por esse vírus maligno.

Vou prescrevê-la para você agora:
“ Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer;” (Eclesiastes 12:1)