27 de mai de 2012

Marcha para Jesus no Rio de Janeiro (19/05/12): o “carnaval” gospel



Um coreano olha para as faixas de conclamação à volta ao Evangelho puro e simples de Cristo e pergunta:
- Faixas de igreja? Mas aqui não é o Carnaval?
Isso aconteceu durante a Marcha para Jesus no Rio de Janeiro, capitaneada pelo Pr. Silas Malafaia, e demonstra bem o espírito que imperava naquele lugar.
O Pr. João Victor, da Igreja Batista Regular do RJ, editou o vídeo a seguir:
Logo no início do vídeo somos impactados com o funk gospel. Alguns vão dizer que pode-se adorar a Deus com todos os ritmos, mas vejam, alguém desceria até o chão com MPB ou chorinho? Porém, eu mesma fui testemunha de jovens que não apenas desciam até o chão, como também faziam a coreografia do “ai se te pego”. Nada a ver com um evento dito cristão se utilizar de ritmos que estimulam danças eróticas (a não ser que se trate de uma “balada gospel”, uma forma dos jovens fazerem dentro da igreja aquilo que lhes é proibido fazer fora – com certeza, muitos dos que ali estavam não têm coragem de entrar numa danceteria ou baile funk, locais considerados cheios de pecado. Mas têm coragem de fazer o que fariam ali no meio da Marcha para Jesus, sob a bênção dos líderes denominacionais).
A Marcha ocorreu mais ou menos como ocorre sempre: líderes e políticos no alto dos trios-elétricos, o povo pulando atrás. Porém, muitos prestaram atenção nas faixas e vieram conversar conosco. Tiraram fotos, pegaram os folhetos que distribuímos. A semente do Evangelho puro e simples foi plantada, creio eu, em muitos terrenos férteis.
Foi uma maravilhosa surpresa encontrarmos um casal panfletando um alerta sobre a corrupção nas igrejas. Eles se juntaram conosco em boa parte da Marcha, e tanto nós como eles descobrimos que não estamos sós nessa jornada. O Espírito Santo está se movendo nessa terra, apesar de nós.
Também foi maravilhoso encontrar com um rapaz, o Allan, que viu a manifestação pelo Evangelho puro e simples em Belo Horizonte, onde morava, e que agora morando no Rio se aproximou de nós e participou, ajudando a segurar as faixas. O Senhor seja louvado!
Uma das partes mais tristes foi vermos que os líderes incitaram o povo a gritar “liberdade de expressão”, ter um trio com um painel escrito “liberdade de expressão”, mas sermos ameaçados por um enorme segurança da Marcha, por causa das nossas faixas e camisetas (minutos 30 a 40 do vídeo). E o segurança ainda teve a cara-de-pau de pedir para não ser filmado, no que foi prontamente atendido. Descobrimos que os líderes ali presentes só querem liberdade para eles dizerem o que quiserem, mas querem repressão total a quem pensa diferente deles. E viva a “demo-cracia” gospel!
Outro momento triste foi o Pr. Abner Ferreira dizer algo tipo: “pastores do RJ, vocês precisam deixar o orgulho e se unir sob a liderança do Pr. Silas Malafaia”. Enfim, a oficialização do feudo gospel carioca.
Porém, entre alegrias e tristezas, prevaleceu a alegria de estar ali entre verdadeiros irmãos e cristãos, pessoas que abriram mão de suas agendas pessoais para estar pregando o Evangelho para quem, em tese, deveria conhecê-lo.
Já no caminho de volta, encontramos com um irmão que trabalha como radialista. Ele nos abordou, pois tinha lido as faixas e achou o movimento interessante. Ficamos um bom tempo conversando com ele sobre o Evangelho e saímos todos edificados com a conversa.
Agradecemos a todos que participaram, em especial ao Pr. João Victor, do blog Voltemos ao Evangelho, que editou e publicou o vídeo. Não citaremos os nomes dos participantes, pois Quem importa conhecê-los já os conhece desde que estavam no ventre de suas mães.
Mais uma vez, acreditamos que o objetivo foi alcançado: as pessoas puderam ler as faixas e os versículos bíblicos, e cremos, o Espírito Santo trabalhará naqueles que têm o coração voltado para Deus, mesmo que imersos nos enganos gospel. A seu tempo, as sementes se tornarão árvores frondosas, florescerão e darão frutos.
Neste ano, ainda haverá muitas Marchas. E lá estaremos com o mesmo propósito, se Deus assim o permitir.
A Deus, toda a honra e toda a glória para sempre.
P.S.: Lembra da pergunta do coreano, lá no início do artigo? Ele tem razão em ter dúvidas. Da forma como a Marcha para Jesus é, qualquer não cristão ou cristão legítimo a confunde com um imenso e alegre Carnaval.
Fonte: Estrangeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.