11 de jun de 2012

Fala agora, Malafaia! Critica a Globo, boquirroto!


O pastor Márcio de Souza, colunista do Gospel+, publicou artigo questionando os motivos de o pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, não ter se posicionado a respeito do capítulo da novela Avenida Brasil em que a personagem evangélica, interpretada pela atriz Paula Burlamarqui, aparece seminua dizendo “tá amarrado”.

Souza afirma que “o cara [pastor Silas Malafaia] se mete em tudo, causa gay, movimentação dos blogueiros, vende bíblia a 900 paus, recolhe oferta da casa própria, lei geral da copa, mas levantar a sua ‘voz profética’ contra a Globo que é bom nada”. 


Classificando a falta de manifestação de Silas Malafaia sobre o assunto como “covardia”, Souza afirma que o pastor “fala contra quem sabe que não tem força para reverberar contra ele, mas contra a rede globo que paga a ele pra ele entregar a gente e nosso modo de viver pra comercializar isso, aí mexe no bolso e ele recua”.

O colunista afirma ainda que “a covardia e o conluio dos pastores evangélicos com as instituições poderosas sinceramente me enoja”, e classifica a postura de diversos líderes evangélicos como “a corrupção dos princípios bíblicos”.

Márcio de Souza pontua que o silêncio de Silas Malafaia é “medo de perder o confortável papel dele de aparecer no comercial do ‘Promessas’ fazendo seu jabá. Convicções vendidas. E quem vende convicções, se for preciso vende até os amigos. Esse é o perfil da maioria que anda por aí”.

Já o pastor Paulo Siqueira, líder do movimento “Evangelho Puro e Simples”, afirma que o pastor Silas Malafaia é “um exemplo a não ser seguido”, por causa de suas pregações alinhadas com a teologia da prosperidade.

Siqueira afirma lamentar as “mudanças” que viu no discurso de Silas Malafaia ao longo do tempo, e que o pastor se tornou um plano de marketing: “Tive a oportunidade de ouvir, ao vivo, o sr. Silas pregando nos últimos vinte anos, e infelizmente esse cidadão passou por grandes transformações. Sua mudança ocorre de forma cronológica, pensada e articulada por seus assessores. Do bigode ao implante de topete, muito dinheiro e muito empreendedorismo de marketing foram necessários”.


Fonte: Genizah

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.