26 de ago de 2012

A alegria de ser perseguido


"Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus.
Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem
e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande
é a sua recompensa nos céus, pois da mesma forma perseguiram
os profetas que viveram antes de vocês." (Mt 5.10-12)

Esta é a última e a mais longa das Bem-aventuranças. É uma pérola de grande valor e por isto tem servido de encorajamento para milhares de cristãos ao longo dos tempos. Charles H. Spurgeon (Pastor Batista inglês, 1834-1892) foi um deles.

Steve Miller, escrevendo sobre a vida do Príncipe dos Pregadores (como ficou conhecido) comentou: "A jovialidade de Spurgeon (20 anos!), a franqueza de seus sermões e o sucesso imediato que ele conheceu foram ingredientes responsáveis por atiçar a ira e a suspeita tanto de seus pares quanto da imprensa. Críticas começaram a surgir de todos os lados, incluindo matérias frequentes dos jornais. Muitos previam que ele não seria mais do que uma novidade passageira. [...] Apesar de suas convicções e compromisso com Deus, os ataques incessantes pesaram-lhe muito no coração. Susannah, sua esposa, também se angustiou bastante, até que decidiu agir com o intuito de incentivar o marido. Foi quando optou pelo recurso de mandar gravar "Mateus 5.10-12" em letras grandes e emoldurá-las".

Sobre isto, Susannah escreveu: "O texto foi pendurado em nosso quarto e lido por meu querido esposo e pastor todas as manhãs - cumprindo seu propósito bendito, visto que lhe fortaleceu o coração e o capacitou a afivelar a armadura invisível com a qual podia caminhar tranquilo entre os homens, indiferente às suas calúnias, preocupado apenas com o que era melhor para o interesse deles mesmos".

O contexto e a forma como Charles e Susannah Spurgeon aplicaram este texto das Bem-aventuranças às suas vidas revela exatamente o por que de toda perseguição. É importantíssimo que se observe este detalhe, pois não são todos os perseguidos que são "Bem-aventurados". Apenas "os perseguidos por causa da justiça" (Mt 5.10).

É irônico e imensamente significante que Jesus tenha partido imediatamente da ideia de encorajar pacificadores (Mt 5.9) para a realidade de que uma pessoa com o caráter justo sofrerá perseguição, será insultada e caluniada (Mt 5.10-12). Isto é: por um lado, os justos e piedosos são pacificadores. Por outro lado, eles são perturbadores - já que quem vive em trevas odeia a manifestação da luz e da justiça. Paulo diz assim: "De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos." (2Tm 3.12)

Todos nós sabemos como dói ser perseguido, insultado e caluniado. Principalmente quando estamos praticando obras de justiça, buscando em primeiro lugar o Reino de Deus. Porém, observe que esta é a única Bem-aventurança que vem acompanhada com promessa de bênção em dose dupla. Jesus começa o verso 10 assim: "Bem-aventurados os perseguidos". E no verso 11 ele repete a mesma bênção, só que com um toque pessoal todo especial: "Bem-aventurados serão vocês".

Estas são palavras maravilhosas de conforto para todos quantos estejam sofrendo injustamente. Não importa o quanto eles estejam sendo perseguidos, insultados e caluniados, a bênção do Senhor repousa sobre todos aqueles que sofrem por causa da justiça. Portanto, façam como Jesus: quando insultados, não revidem, quando sofrerem, não façam ameaças (1Pd 2.23), mas entreguem-se ao Justo Juiz e "Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a sua recompensa nos céus." (Mt 5.12)



Fonte: Igreja Batista Central de Campinas

Via: Libertos do Opressor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.