6 de mar de 2014

Por um Evangelho sem máscara!


Por Cláudia Castor

"E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" (Jo 8.32)

Cristo morreu por nós para que fôssemos livres. Livres de quê e para quê? liberdade cristã não é sinônimo de independência de Deus, mas de interdependência. Vivemos num país onde tem predominado um "pseudo-evangelho" que aprisiona e ofusca a imagem de Deus. 

O verdadeiro Evangelho nos atrai a sermos livres, libertos do pecado, livres para adorar, livres para um novo relacionamento com Deus através da Pessoa de Cristo Jesus. Porém, quando este "pseudo-evangelho" se alastra, mas escravizados vemos o homem. Escravos de si mesmos, de seus desejos, de campanhas, de falsas promessas, escravos do deus desse século (2Co 44). A liberdade cristã coloca Jesus em seu devido lugar, ou seja, no centro de tudo em nossas vidas. É o Evangelho Cristocêntrico, tudo o mais é acréscimo, passageiro, consequência ou até mesmo desnecessário. 

O "pseudo-evangelho" traz o secundário para centro da vida do homem o distanciando cada vez mais da Pessoa de Cristo Jesus, que assumiu este lugar central na Cruz do Calvário.

Existe um ditado popular que diz "se não pode com ele, junte-se a ele". É exatamente isto que temos visto. Esta estratégia vem sendo usada por Satanás, infiltrando-se no Corpo da Igreja, mudando suas prioridades com seu falso evangelho, aprisionando, decepcionando, distanciando o homem de Deus. 

Este tem sido o evangelho que temos visto na maior parte dos pastores que estão na mídia e em muitas igrejas. Pregam um evangelho imediatista, secularizado e com o fim em si mesmo. Um evangelho sem cruz, sem Calvário, mas também sem o verdadeiro Pentecostes. Um evangelho sem o Espírito Santo.

"Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus" (2Co 4.5).

O Show tem que parar. Voltemos ao Evangelho de Cristo Jesus simples e puro!   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.