8 de abr de 2014

UM HERÓI PARA OS JOVENS RAPAZES

Por Mark Discroll

O boxeador legendário Muhammad Ali famosamente afirmou: “Eu sou o maior de todos”. Além de Jesus Cristo (que é uma categoria em si mesmo), quem você diria que foi o maior homem que já existiu? De acordo com Jesus, o maior de todos não foi ninguém mais do que o seu primo profeta caipira sangue nos olhos, João Batista. Em Mateus 11.11 Jesus afirma: “Digo-lhes a verdade: Entre os nascidos de mulher não surgiu ninguém maior do que João Batista.” Como o maior homem que já existiu, João é o maior exemplo para todos os homens, e particularmente os jovens rapazes, já que ele morreu aos 30 anos.

O que significa ser “grande”? Aqui estão seis aspectos da grandeza de João

1. JOÃO TINHA PARENTES CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO

No livro de Lucas, está escrito que a mãe de João, Isabel, “era cheia do Espírito Santo” e profetizou para Maria (Lucas 1.41-45). Do mesmo modo, seu pai, Zacarias “era cheio do Espírito Santo e profetizou” para o seu filho recém-nascido (Lucas 1.67-79). Zacarias e Isabel amavam o Senhor, serviam fielmente no ministério e esperaram até uma idade para que Deus os abençoassem com um filho, sem se tornarem amargurados ou cometerem adultério. Nós não podemos escolher os nossos pais, mas se nós temos parentes piedosos como os de João Batista, nós poderemos escolher seguir os seus passos fieis. Foi isso o que João fez, pela graça de Deus.

2. JOÃO ERA CHEIO DO ESPÍRITO

Antes do nascimento de João, o anjo Gabriel disse: “Ele será cheio do Espírito Santo desde o ventre materno” (Lucas 1.15). A Bíblia também diz, “A mão do Senhor estava sobre ele” (Lucas 1.66). Em um dos maiores exemplos bíblicos de eleição soberana e um dos maiores argumentos bíblicos de que a vida humana se inicia antes do nascimento, nós vemos aqui que João Batista foi escolhido por Deus desde o ventre materno para ser regenerado pelo Espírito Santo e separado para uma vida dedicada ao ministério. João foi receptivo ao trabalhar do Espírito Santo através da sua vida, se submetendo ao poder interior de Deus.

Com relação ao que significa ser cheio do Espírito, Dr. Wayne Grudem escreve, “Um evento subsequente à conversão, no qual cada crente experimenta um enchimento fresco do Espírito Santo que pode resultar em uma variedade de consequências, incluindo maior amor por Deus, maior vitória sobre o pecado, maior poder para o ministério e as vezes o recebimento de novos dons espirituais.”

3. JOÃO HUMILDEMENTE PREPAROU O CAMINHO PARA JESUS

Quando João nasceu, o seu pai profetizou “E você, menino, será chamado profeta do Altíssimo, pois irá adiante do Senhor, para lhe preparar o caminho.” (Lucas 1.76).

João foi um tipo de estrela do rock dos seus dias apenas no primeiro dia em que o seu ministério público se iniciou. Não havia existido um profeta por cerca de 400 anos até que João abriu a boca e o Espírito ungiu a sua pregação. Ele era um tipo de cara maluco que cresceu no deserto e não se encaixava nos moldes religiosos da época. Ele era jovem, em seus 30 anos, forte e destemido. Multidões o seguia.

Contudo, João não tinha nada a ver com ele mesmo. Tudo nele girava em torno de Jesus. “Depois de mim vem aquele que é maior do que eu”, dizia João, “cujas correias da sandália não digno nem de amarrar.” É como se ele estive em primeiro lugar nos assuntos mais comentados no Twitter ou permanecendo por semanas na lista dos 10 mais do iTunes, e ainda assim afirmar que não era digno nem de fazer o trabalho de um escravo de Cristo. Depois, quando a sua fama havia se espalhado mais do que nunca e ele poderia ter utilizado tudo isso para criar um grande ministério, mas ele deixou tudo isso de lado, mandou seus discípulos seguirem Jesus e disse: “Que Ele cresça e eu diminua” (João 3.30).

4. JOÃO ERA UM EVANGELISTA

João cumpriu o seu ministério de “dar ao seu povo conhecimento da salvação através do perdão dos seus pecados, por causa da grande misericórdia do nosso Deus” (Lucas 1.77-78).

João não era um covarde. João sabia que pela pregação do arrependimento ele seria desprezado, odiado e sofreria oposição. Mas ele amava a Deus e ele amava as pessoas. Ele sabia que o pecado separava as pessoas de Deus e que as pessoas precisavam se arrepender dos seus pecados para serem salvas. Ele não se conformou apenas por fazer boas obras; ele continuou pregando as más notícias do pecado e as boas novas da salvação. Ele pregou essa mensagem abertamente aos religiosos que pensavam serem justos e muitos foram salvos.

5. JOÃO OBEDECEU AO CHAMADO DE DEUS PARA A SUA VIDA

Gabriel previu que João “iria diante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos seus filhos, e os desobedientes à sabedoria, para separar um povo preparado para o Senhor” (Lucas 1.17). O ministério público de João durou aproximadamente seis meses – menos do que o primeiro semestre de um seminário teológico. Ele pregou uma série de sermões sobre arrependimento, batizou centenas de pessoas, combateu os religiosos, entregou o seu ministério a Jesus, repreendeu Herodes publicamente por se casar com sua cunhada e teve sua cabeça decepada – tudo isso em seus 30 anos. Hoje os rapazes nessa faixa de idade estão se casando pela primeira vez depois de anos jogando vídeo game, baixando pornografia e perdendo tempo.

6. JOÃO EVITOU A ADOLESCÊNCIA

A Bíblia fala brevemente sobre a juventude de João: “E o menino crescia e se fortalecia no espírito; e viveu no deserto, até aparecer publicamente a Israel” (Lucas 1.80). João nunca consumiu álcool, nem vacilou e abraçou o trabalho de toda a vida de um homem durante os breves 30 anos de vida, porque não quis desperdiçar nenhuma parte do seu tempo na Terra. Como um soldado que vai para a guerra, ele não fingiu que a vida era férias estendidas em um resort com tudo incluso. Ele era um homem de verdade.

Homens que aspiram ser grandes podem aprender muito com o exemplo de João. Ele é a definição de Jesus de um grande homem: um homem que honra o pai e a mãe, é cheio do Espírito Santo, humildemente leva outros a Jesus Cristo, evangeliza pessoas perdidas, obedece ao chamado de Deus para sua vida, evita a adolescência e não gasta seu tempo evitando ter mais responsabilidades.

***

Publicado em: https://theresurgence.com/2013/06/05/A-hero-for-young-men. Tradução: Igor Sabino. Fonte: UMP da Quarta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.