26 de ago de 2014

PERIGO!


Por Fabio Campos

Texto base: “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé”. – 1 Timóteo 4.1

Estamos sob pressão! A sensação que tenho é que a qualquer hora o mundo vai explodir. As guerras, as injustiças sociais, a programação televisiva (que a cada dia “ama o que deveria odiar e odeia o que deveria amar”) têm sido o alimento de muitos, com toda sorte de porcaria obscena e imoral. Mas há uma esfera pior! A apostasia! Como vamos ser luz se estamos nas trevas? Como vamos ser sal da terra se nossa vida tornou-se insípida?

Disse Nosso Senhor, “Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos; e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará” (Mt 24. 11-12 AFC).

O pecado, a iniquidade e a injusta têm sido o alimento dado por satanás à alma do homem que por natureza é incrédula. Muitos estão se alimentando deste engodo; e pior, nem ao menos sentiram o incomodo digestivo desta comida podre. Ouvindo aos demônios, como disse o apóstolo, estão se apostatando da fé.

Precisamos diferenciar “apostatar” e “desviar”. Quando alguém se desvia, há perdão e misericórdia no quebrantamento (Tg 5.19-20). Este ainda não perdeu o temor e reconhece que precisa se concertar com Deus. Apostatar-se é totalmente diferente.

É mesmo termo usado para “divórcio”. Ou seja, há um rompimento. O apóstata peca deliberadamente contra Deus. Não esboça nenhuma atitude de arrependimento. Tragicamente “crucificaram para si mesmos o filho de Deus e o expuseram à ignomínia” (Hb 6. 4-6). Este é o pecado para morte qual a Bíblia diz para não orarmos em favor daquele que o cometeu (1 Jo 5.16).

Infelizmente o amor de muitos têm se esfriado. Não há mais esperança – não há mais fé – jogaram a “responsabilidade do homem” nas costas da “Soberania de Deus”. Esqueceram-se da maior injustiça de todos os tempos, a saber, “o justo que morreu pelos injustos”. Tornaram-se infelizes por terem esperado em Cristo somente nesta vida (1 Co 15.19). Pois é, a esperança dada por Nosso Senhor é escatológica! Seu Reino não é este! Como, então, atribuir às intempéries do mundo a Deus, sendo que o “mundo jaz no maligno”? Do que se queixar quando simplesmente comemos os frutos de nossos próprios pecados (Lm3.39)?

Amados, o perigo é constante! O leão ruge buscado a quem possa tragar! Portanto, o Senhor nos deixou de sobreaviso que no “mundo teríamos tribulações”. Se você ouviu algo diferente disto, sinto-lhe informar que você foi enganado! As heresias estão aí! A elite “intelectual” está formando a opinião dos leigos que pensa que pelo simples fato de possuir uma conta “rechonchuda” e uma boa retórica, é detentor da verdade.

Mas não é assim! Pelo contrário! Neste ponto abordado endosso aquilo que disse Olavo de Carvalho: "O modelo supremo de sabedoria a que aspira a inteligência [nociva] moderna é, indiscutivelmente, o demônio. Ele não pode nos salvar; mas pode justificar de maneira cada vez mais científica a nossa danação".

Que Deus guarde o nosso coração e preserve para si sete mil homens e mulheres que não se dobraram a baal, mas que pela firme convicção, independentemente da situação, continue a dizer: “... eu sei em quem tenho crido” (2 Tm 1.12 AFC).

Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração.

Soli Deo Gloria!

Fonte: Fabio Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.