3 de nov de 2016

FILHOS OU CRIATURAS DE DEUS?

Esse artigo é o resumo de nosso estudo bíblico do dia 26/10/16 e pastoral de nosso boletim informativo do próximo domingo. Leia-o. Tenho certeza de que Deus o abençoará.
A DOUTRINA DA ADOÇÃO
Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. I Jo 3.1
No mesmo instante em que um indivíduo é unido a Cristo no exercício da fé, nele são consumados, simultânea e inseparavelmente, dois fatos: A mudança de sua natureza, representada pela regeneração e a mudança total em relação Deus, representada pela justificação, que é instantânea; baseada na justiça de cristo. Uma vez justificado o crente passa a gozar de todo o direito legal às relações e benefícios assegurados pelo pacto que Cristo cumpriu ao seu favor.
Um aspecto legal, de direito, ao justificado é a adoção. Foi considerada pelos reformadores os quais afirmaram que “Todos os que são justificados é Deus servido, em seu único Filho Jesus Cristo e por ele, fazer participantes da graça da adoção. Por essa graça eles são recebidos no número dos filhos de Deus e gozam a liberdade e privilégios deles; têm sobre si o nome deles, recebem o Espírito de adoção, têm acesso com confiança ao trono da graça e são habilitados, a clamar "Abba, Pai"; são tratados com comiseração, protegidos, providos e por ele corrigidos, como por um pai; nunca, porém, abandonados, mas selados para o dia de redenção, e herdam as promessas, como herdeiros da eterna salvação.” Confissão de Fé de Westminster, Cap. XII. A adoção representa a nova criatura em sua nova relação com Deus; é derivada da natureza espiritual de Deus. “Para que sejais participantes da natureza divina” 2 Pe 1.4; (Cf Jo 1.12,13; Tg 1.18; 1 Jo 5.18). São adotados na família de Deus aqueles que nasceram à sua imagem, portanto à sua semelhança. “E revestindo-se do novo homem, que é renovado no conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou” Cl 3.10. (Cf Rm 8.29; 2 Co 3.18). Uma vez adotados, os crentes são elevados à categoria de filhos de Deus, são chamados filhos de Deus, Jo 1.12,13; 1 Jo 3.1; Ap 2.17; 3.12. Por serem filhos de Deus, tornam-se objeto de seu amor especial. “Para que o mundo conheça que tu me enviaste, e eles têm amado, como tu me amaste” Jo 17.23; Rm 5.5-8.
Na adoção, os crentes são participantes da natureza divina, tornam-se habitação do Espírito do Filho de Deus, Gl 4.6, que forma neles espírito filial ou um espírito que os faz filhos de Deus. Obedientes, 1 Pe 1.14; 2 Jo 6; livres do senso de culpa, da escravidão legal e do medo da morte, Rm 8.15-21; Gl 5.1; Hb 2.15. Elevados com santa ousadia e com dignidade real Hb 10.19, 22; 1 Pe 2.9; 4.14.
A adoção representa proteção, consolação e suprimentos abundantes, Sl 125.2; Is 66.13; Lc 12.27-32; Jo 14.18; 1 Co 3.21-23; 2 Co 1.4. Representa disciplina paternal para nosso bem, inclusive, aflições espirituais e temporais. Sl 51.11,12; Hb 12.5-11.
A adoção garante a herança das riquezas da glória de nosso Pai, como “herdeiros e coerdeiros com Cristo” Rm 8.17; Tg 2.5; I Pe 1.4; inclusive a exaltação de nossos corpos em comunhão com o Senhor. Rm 8.23; Fp 3.21
Amemos ao nosso Pai celestial.
Cleuso Nogueira, Pastor Efetivo 2016-2017 da Igreja Presbiteriana José Manoel da Conceição em Jandira - SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.